É tempo de semear…

Jônatas Cunha

A história de Ytzahak Perlman é inspiradora. Ele contraiu pólio aos 4 anos de idade e caminha com auxílio de muletas. Contudo, tornou-se um grande violinista. Certa vez, no palco, sentou-se e posicionou o violino para afiná-lo, quando, de repente, uma das cordas se rompeu. Enquanto todos esperavam que pedisse outra corda, ele fez um sinal ao maestro e começou a executar o concerto com apenas três cordas. Todos o ovacionaram de pé. Quando lhe deram a palavra, disse: “Nossa tarefa é fazer música com o que resta”.

O livro de Eclesiastes nos ensina a sabedoria: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou…”. Quando medito nestas palavras não posso deixar de pensar, não só em minha vida pessoal, mas também em nossa caminhada como corpo de Cristo.

Também neste caminho tudo tem o seu tempo determinado. Há o tempo de avançar e o tempo de parar, há o tempo de rir com quem se alegra e o tempo de chorar com quem chora, há o tempo de aprender e o tempo de ensinar o que se aprendeu, há tempo de juntar e tempo de deitar fora, há tempo para todo propósito.

Tivemos um ano corrido, difícil e com muitos desafios. Os acontecimentos, ao redor do mundo e perto de nós, fizeram de 2017 um ano acelerado. Muitas mudanças e muitas catástrofes nos deixaram paralisados. Muita euforia e renovação nos trouxeram alegrias. Experimentamos perplexidade e esperança, luto e festa, descaso e solidariedade. Somamos vitórias e avanços, lucros para o Reino de Deus, mas também tivemos nossas perdas. O fato é que foi um ano de acomodação, de adaptação, de aprendizado (que continua sempre). Foi um tempo de preparação da terra para o plantio.

Hoje o tempo é de plantar, de semear, de regar, de cuidar, e de esperar com paciência os frutos que virão pelo cuidado do Fiel Agricultor e Senhor da Seara (Jo 15.1; Mt 9.38). É tempo de sair andando e chorando enquanto semeamos, para voltar com júbilo trazendo nossos feixes diante do nosso Pai. É tempo de avançar, de conquistar, de lançar a Palavra a tempo, fora de tempo e em todo lugar. As que forem semeadas em boa terra, darão seu fruto a trinta, a sessenta e a cem por um (Mc 4.20).

Temos nossas limitações: poucas pessoas e poucos recursos. Mas, hoje é o tempo de lançar a semente com abundância, para colher o fruto de nossos sonhos. Por isso, precisamos aprender com Perlman a fazer música com as cordas que temos na dependência de nosso Senhor Jesus Cristo.

Anúncios