Tanto Amor

Nesta sexta-feira da paixão, nada melhor que ouvir e refletir neste réquiem de Páscoa. Nele, o pecador engrandece ao Pai o sacrifício do Filho. Assim, toda vez que usa a terceira pessoa (ele), está se referindo ao Filho. Na última estrofe, oferece diretamente ao Pai, sua devoção filial. O ritmo é o passo da via crucis. Essa cena nos ensina que as grandes batalhas da vida são vencidas, espiritualmente, na véspera; de joelhos.

Uma Páscoa “significativa” a todos.

 

Anúncios