Deus não é difícil: uma certeza para o novo ano

Por Élben Lenz César

Se o buscarem, ele deixará que o encontrem. (2 Crônicas 15.2)

Deus não é difícil! Mesmo sendo majestoso, santo, glorioso, poderoso e temível, ele se deixa encontrar (2Cr 15.2).

A porta dos céus está sempre aberta. Não há necessidade de credenciais nem de intermediários. A única dificuldade é a falta de interesse, de iniciativa, de coragem, de sinceridade.

O mesmo texto que afirma que Deus não é difícil encoraja a busca. Numa linguagem sem rodeios, o contrário de busca é abandono: “Se o buscarem, ele deixará que o encontrem, mas, se o abandonarem, ele os abandonará” (2Cr 15.2). O verbo buscar nesse sentido aparece cinco vezes nesse capítulo (15.2, 4, 12-13, 15) e em várias outras passagens das Escrituras. Uma das mais conhecidas é esta: “Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto” (Is 55.6, NVI).

Na época do rei Asa (906–878 a.C.), os israelitas “fizeram um acordo de todo o coração e de toda a alma de buscar o Senhor, o Deus dos seus antepassados”. E, porque o buscaram com a melhor disposição, “ele deixou que o encontrassem e lhes concedeu paz em suas fronteiras” (2Cr 15.12, 15).

Mesmo sendo uma rotina que se celebra de doze em doze meses, a entrada de um novo ano sempre traz um desafio novo ou a renovação de um desafio não alcançado no ano anterior. A firme decisão de buscar o Senhor “com a melhor disposição” pode tornar este novo ano o melhor ano de nossa vida!

Anúncios