Amando o culto doméstico

Davi Quaresma

140728_cultodomestico 590

Nos últimos tempos tenho reparado quão raro são os momentos dos crentes com seu Deus. Momentos de meditação na Palavra têm sido cada vez mais desprezados por famílias e por pessoas* (individualmente falando). Recentemente eu e meu irmão publicamos um texto sobre o dia do Senhor aqui no blog, e destacamos que é necessário uma preparação ao longo da semana para que aproveitemos ao máximo esse dia para gozarmos dos momentos de comunhão com Deus. Essa preparação que falávamos não era apenas logística, física ou mental, mas também espiritual. Por esse e por outros motivos são inegociáveis os momentos ao longo da semana de comunhão com Deus e reflexão em Sua Palavra. Gostaria que refletíssemos um pouco nos motivos e consequências da importância de termos, ou em família ou individualmente, momentos diários de comunhão com o Criador, e que percebêssemos o quanto isto é essencial na vida do crente.

“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita dia e noite.”
Salmos 1:1-2

1. Nosso fim principal

Fomos feitos para louvar a Deus. Somos, por natureza, uma espécie de “culto ambulante”, apesar de infelizmente muitas vezes deixarmos de cultuar a Deus com nossos atos e cultuamos a nós mesmos – quando cedemos às vontades da carne -, mas o fato é que fomos feitos para glorificar a Deus. Para fazê-lo em perfeição é preciso saber como Deus quer ser cultuado, e só a Sua Palavra nos expressa de maneira perfeita o culto que ele exige de nós. Uma maneira de se cultuar a Deus é ler e meditar em sua Palavra. Com nossos cultos domésticos estamos nada mais que fazendo o que fomos criados e chamados a fazer, como bem foi expresso na primeira pergunta do Breve Catecismo de Westminster: Qual o fim principal do homem? R.: “O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-Lo para sempre”

2. Sinal de dependência

Deus é o nosso Criador assim como de todas as coisas que vieram a existir. É o provedor de tudo que temos, de todas as bênçãos que ganhamos. Tudo que precisamos depende dEle, o motivo de nossa Salvação é sua infinita bondade, não é mérito nosso, mas dEle, por conta de Cristo. Dependemos dele em tudo e para tudo. O nosso culto diário em momentos de comunhão com Ele e meditação nada mais são que um sinal de dependência. Eu sinceramente suspeito da salvação de alguém que só abre a Bíblia aos Domingos, que só ora antes das refeições ou em culto solene, fazendo do Criador um meio para satisfazer as nossas vontades e não um fim.  Nossos momentos de culto doméstico são um sinal de dependência, e essa palavra (dependência) expressa de maneira perfeita, eu diria, a nossa relação com nosso Deus.

3. Meio de fortalecimento

No Salmo 27, nos primeiros três versos, vemos Davi confiante, esperançoso e fortalecido em Deus. Ele conhecia a Deus e seus caminhos, e a nada temia. No verso quatro vemos o sábio pedido de Davi: “Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo.” Devemos anelar estes momentos, que servem de refrigério para nossa alma e nos fortalece para vivermos neste mundo de maneira digna a ponto de sermos chamados filhos de Deus.

É imprescindível o meditar nas Sagradas Escrituras. Quanto menos tempo tivermos de comunhão com Deus, mais fracos estaremos em nossas lutas contra as tentações deste mundo, consequentemente mais poderosas e eficazes serão as investidas do diabo.

4. Santificação

Deus é quem nos santifica através do Espírito Santo (João 15:16; 17:17; Hebreus 2:1). O principal meio pelo qual Deus nos santifica é através de sua Palavra, seja na exposição ou na meditação dela. Cientes de que Deus de nós ordena santidade (1Pedro 1:16), e de que sem tal santidade ninguém verá ao Senhor (Hebreus 12:14) , devemos nos dedicar a momentos de deleite na Palavra como estes, como se a salvação dependesse de nós.

5. Sabedoria

Nosso Deus é a fonte de toda sabedoria, e por sua maravilhosa bondade Ele nos fez a sua imagem e semelhança, por isso, pedindo, podemos receber sabedoria – mesmo que a nossa seja incomparável à sabedoria Divina.

O ser humano tem acesso a alguns respingos deste rio infinito de sabedoria, que é a sua Palavra. Devemos pedir sabedoria a nosso Deus e certamente o meio que Ele usará será a sua Palavra. Se quisermos pensar parecidos com Cristo, agir de maneira parecida com o homem mais santo e o único santíssimo que pisou esta terra, teremos que nos deleitar nas Sagradas Escrituras. O culto doméstico é um dos meios que nosso Deus usa para dar sabedoria a seus filhos.

6. Temor

“O temos do Senhor é o princípio da sabedoria” (Provérbios 9:10). As Sagradas Escrituras nos contam a respeito de um Deus Todo-Poderoso, Justo, Infinito, Soberaníssimo. Para que temamos este Deus maravilhoso precisamos conhecer mais dEle, e não há outro lugar mais confiável e infalível para aprender dEle que em Sua Palavra. O cristão que ama a Deus deve ansiar por momentos de comunhão com o temível Deus, e esses momentos de reter o verdadeiro conhecimento nos trarão temor ao nosso Pai.

7. Fazemos parte de uma Aliança

“Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e dela falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-se e ao levantar-te.”
Deuteronômios 6:6-7

Essa é obrigação que os pais têm diante de Deus, por isso são os principais instrumentos usados por Deus para agir através do Espírito Santo, fazendo com que um dia os filhos professem a mesma fé salvífica. Não há outra maneira de isso acontecer se os pais não criarem os filhos na disciplina e na admoestação do Senhor, inculcando nos filhos as leis de nosso Deus. Por isso, o culto doméstico no lar onde Deus é o Senhor é algo indispensável. Momento onde o evangelho é pregado para os filhos da aliança – até de maneira um pouco mais adaptada à mente infantil – e com a seriedade adequada para o momento. Os pais cumprem um mandamento ao se esforçarem para que, com seus filhos, cultuem a Deus. Uma família que assim procede pode sim dizer “Eu e minha casa serviremos a Deus”, pois seus filhos estão sendo preparados para isso, pois vivem isso.

8. Treinamento

O culto doméstico prepara não só os pais crentes para o dia do Senhor, mas também os filhos da Aliança. É ali onde treinamos nossos filhos para encararem não só o culto com a seriedade devida, mas todas as coisas relacionadas ao Reino de Deus. Tornando esse momento cotidiano e levando-o a sério, Deus certamente nos abençoará de forma que nossos filhos consequentemente entenderão as mensagens pregadas nos cultos solenes com mais facilidade, terão ciência da importância de estar ali Domingo após Domingo e também a importância destes momentos de comunhão com Deus dia após dia.

9. Amando de todo coração, com toda a alma e com toda força – Deuteronômio 6:5

Não temos procurado o nosso Deus enquanto Ele pode ser achado, nem O invocado enquanto Ele está por perto. Nossa ginástica, nosso programa de televisão favorito ou nosso jogo de futebol são prioridades do dia. Maldita e enganosa idolatria! Temos planejado o nosso dia em torno das coisas mundanas, e até pensamos: “Seria ótimo se achássemos tempo para cultuar a Deus”, mas na verdade, pensamentos como esses, por mais que pareçam bons, acompanhados de aconchego aos afazeres mundanos, mostram um coração acomodado com o pecado, uma fé abalável, e mostram, acima de tudo, que não temos amado nosso Deus de todo o coração, com toda a alma e com toda a força.

Certa vez o pastor Paulo Brasil disse que a única maneira de fugirmos da indesejável ira de Deus é nos achegando a Ele, por isso precisamos vencer o cansaço do dia atarefado, vencer a preguiça, enfim, o nosso duro coração e descansar nossas almas em Deus com inegociáveis momentos de gozo em Sua santa Palavra. Sem nos esquecer que são nossas almas que estão em jogo e que você não anseia pelo Deus vivo, há algo de errado em você. Temendo sempre a Deus, pois “horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo” (Hebreus 10:31). Que fujamos de sua ira, nos aconchegando em seus poderosos braços. Amém.

Davi Quaresma • inconformados.blog.br
F BY-NC-ND 3.0 • This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s