Ser membro da Igreja é Importante?

Jônatas da Cunha Ferreira

130628_boletim320 590

Por que fazer parte da Igreja é importante? Por que é necessário estar sempre presente nas reuniões e nos comprometermos seriamente com a nossa igreja local? De antemão podemos dizer que é importante porque evidencia a fé verdadeira. A carta aos hebreus nos traz exatamente essa reflexão (Hb 10.19-27).

A carta aos hebreus foi escrita a judeus convertidos ao cristianismo e que estavam sendo perseguidos por sua fé. Alguns tinham sido mortos, outros estavam presos, outros tiveram seus bens arrestados e muitos experimentaram longo sofrimento por causa de Cristo. Por isso, o autor de Hebreus escreve esta carta como um sermão para ser lido nas igrejas formadas por judeus cristãos perseguidos com a finalidade de persuadi-los a perseverar na fé.

Por isso, para que guardassem “a firme confissão da esperança sem vacilar”, os cristãos precisavam do compromisso com a igreja local, sempre presentes às reuniões da igreja a fim de serem estimulados e encorajados na fé: Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima. (v.25). A igreja é o meio que Deus nos deu para nos dedicarmos a ele. É na convivência da Igreja que aprendemos mais de Deus e somos mutuamente edificados por meio dos dons que Ele nos deu. É nessa convivência de uma igreja saudável que crescemos na fé e somos estimulados a prosseguir em um desenvolvimento contínuo.

Muitos cristãos tendem a ver seu cristianismo apenas como um relacionamento pessoal com Deus. Eles sabem que esse relacionamento com Deus tem implicações na maneira como devem viver. Contudo, não compreendem como esse relacionamento pessoal com Deus necessita de inúmeros outros relacionamentos pessoais secundários – relacionamentos que Cristo estabeleceu entre nós e seu corpo, a Igreja.

Ser um cristão é ser reconciliado com Deus em Cristo e também ser reconciliado com todos que igualmente são reconciliados com Deus em Cristo. O Novo Testamento nunca retrata o cristão como alguém que existe fora da comunhão da igreja porque a igreja não é realmente um lugar, mas um povo – o povo de Deus em Cristo. Por isso, o verdadeiro cristão não se une à igreja tão somente para crescer, mas porque isso é a expressão daquilo que Cristo o tornou – um membro do seu corpo.

Assim, comprometer-se com a igreja local — decidindo amar as pessoas de carne e osso que fazem parte desse corpo e que pisarão nos seus calos; estando presente constantemente às reuniões e cultos; dispondo-se a servir; tornando-se membro da igreja; cultivando um coração generoso para contribuir financeiramente com o sustento e crescimento da igreja — é o resultado natural de ter se tornado um verdadeiro cristão.

Jônatas da Cunha Ferreira
Tubarão/SC, 30 de junho de 2013

Jônatas da Cunha Ferreira • iptubarao.wordpress.com
CC BY-NC-ND 3.0 • This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s