Pessoas comuns, Chamado Incomum

Jônatas da Cunha Ferreira

130416_discipulado 590

Todos que observam a vida dos doze apóstolos são despertados na curiosidade e fascínio. Isso porque a personalidade desses homens não nos é estranha. São pessoas reais com as quais podemos nos identificar, seja em suas fraquezas, seja em suas vitórias. Homens completamente comuns. Nenhum deles tinha o currículo de grandes oradores ou teólogos. Não se destacavam por suas aptidões intelectuais ou talentos naturais. Todos sujeitos a erros, lapsos na fé e terríveis fracassos. O próprio Jesus se referiu a eles como “lentos para aprender” (Lc 24.25).

Jesus conhecia cada um de seus defeitos antes de os escolher: “Não vos escolhi eu em número de doze? Contudo, um de vós é diabo” (Jo 6.70). Mesmo assim o fez. E quando, na nite da traição, “os discípulos todos, deixando-o fugiram” (Mt 25.56), tudo ganhou ares de fracasso. A pregação do evangelho dependia de homens imperfeitos. Não havia plano B. No entanto, foram estes doze homens comuns que, pregando a Cristo, viraram o mundo de cabeça para baixo (At 17.6). Eles são prova viva de que o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza (2Co 12.9). Eram homens comuns com um chamado incomum. Pessoas como você e eu.

Primeiro, é um chamado a conversão (Jo 1.35-51). André e João eram discípulos de João Batista. Mas, quando João Batista apontou Jesus como o “Cordeiro de Deus”, eles o seguiram. Essa é a primeira fase do chamado de Jesus: um chamado a conversão. Todo discípulo é chamado primeiro à salvação e à novidade de vida. Devemos reconhecer Jesus como verdadeiro Cordeiro de Deus e Senhor de tudo, aceitando ser ele o Filho de Deus que se encarnou para morrer pelos nossos pecados. Este é o ponto fundamental do chamado de Jesus e do evangelho.

Segundo, é um chamado ao discipulado integral (Mt 4.18-22). Até esse ponto os discípulos conheciam os ensinamentos de Jesus, mas continuavam suas vidas. Agora, eles deixam tudo para seguir Jesus completamente. Este é o segundo momento do chamado cristão: não apenas permanecer crendo em Jesus, mas caminhar com ele diariamente, sendo dele um imitador. É um chamado a uma entrega total.

Terceiro, é um chamado à missão (Lc 6.12-16). Jesus chamou estes doze homens para exercer o ministério e apostolado e os enviou para pregar e anunciar o Reino de Deus: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações…” (Mt 28.19-20). Este é o terceiro momento do chamado de todo cristão: não só a crer em Jesus e absorver os benefícios da salvação; não só a andar com ele para aprender a enfrentar os desafios da vida; mas, também a andar por Ele, compartilhando o evangelho, convidando outros a reconciliarem-se com Deus, fazendo novos discípulos. Este é nosso chamado! Precisamos apenas nos dispor e dizer ao Senhor: usa-me!

Jônatas da Cunha Ferreira • iptubarao.wordpress.com
CC BY-NC-ND 3.0 • This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s