Vivendo para agradar a Deus

Jônatas da Cunha Ferreira

121230 REFLEXAO - Agradar a Deus 590

Considerai o vosso passado…

Quando o povo de Deus se tornou descuidado em seu relacionamento com Ele, o Senhor os advertiu por meio do profeta Ageu: “considerai o vosso passado”. Deus os estava levando a refletir sobre algumas coisas que aconteciam com eles e avaliar sua espiritualidade descuidada à luz do que Deus os ensinara.

Mesmo os mais fiéis a Deus precisam dar uma pausa e pensar sobre o sentido de suas vidas. É muito fácil passar de uma semana muito corrida para outra sem ponderar para onde estamos indo e pensar para onde deveríamos estar indo.

O começo de um novo ano é o tempo ideal de parar, refletir, e pensar sobre como sua vida está sendo conduzida no caminho para agradar a Deus. É tempo de considerar o ano que passou e ponderar: para onde estou caminhando? A maneira como eu vivo tem sido agradável a Deus? Ora, agradar a Deus requer saber o que ele deseja de você. E você sabe o que Deus deseja que você faça?

Paulo nos conduz nesta reflexão em Colossenses 1.9-12.

Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus; sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria, dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz.

A igreja em Colossos era uma igreja com muitos recém-convertidos. Eles não estavam ainda totalmente familiarizados com os valores cristãos e ainda viviam debaixo de forte influência do paganismo romano que dominava a região. Essa realidade trazia o perigo do sincretismo. Hábitos são como amarras: difíceis de arrebentar. E o mau ambiente não ajudava. É difícil remar contra a correnteza, afinal todo mundo faz. Por isso, Paulo escreve para adverti-los e encorajá-los a não retornar às práticas anteriores. Por isso, ora para que os colossenses cresçam e transbordem no pleno conhecimento da vontade de Deus.

Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual… (v.9)

Esse conhecimento da vontade de Deus é a habilidade de fazer uso dos melhores meios para atingir o mais alto alvo de viver para agradar a Cristo.

(…) a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado… (v.10a)

Como? Então o que Deus deseja que façamos para viver para seu inteiro agrado? Ele enumera as condutas que devemos cultivar:

1. Frutificar em Boas-obras

(…) frutificando em toda boa obra… (v.10b)

Paulo fala de obras como algo com que alguém se compromete a fazer; produto das mãos e da mente. Paulo fala de produzir ações úteis, saudáveis, de boa natureza. Não necessariamente grandes obras, mas boas obras. Obras que reflitam o caráter de Deus e o fruto do Espírito Santo: Amor, alegria, paz, bondade, paciência, fidelidade, mansidão, domínio-próprio. Uma pessoa inteira e verdadeiramente rendida a Cristo não se distancia de uma vida que está sendo progressivamente transformada Nele. Em outras palavras, boas-obras, pensamentos, desejos e ações que nascem de um coração e uma mente que está sendo transformado à imagem de Cristo.

O maior retorno que um homem pode receber pelo seu trabalho não é o que recebe como recompensa, mas em quem ele se torna através do seu trabalho. Agradar a Deus é mais que “fazer coisas” em seu nome. É o tornar-se nova criatura.

E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. (2Coríntios 5.17)

Deus quer que você dê frutos. Ele se agrada disso…

Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça… (Jo 15.16).

2. Crescer no conhecimento de Deus

(…) e crescendo no pleno conhecimento de Deus… (v.10c)

Paulo também diz que é a vontade de Deus que cresçamos no conhecimento dele. Um conhecimento baseado na experiência pessoal. É mais intenso que o conhecimento por mera transmissão de informação. É o conhecimento baseado em um relacionamento de intimidade.

Deus quer se mostrar a nós e ser completamente conhecido. Por isso mandou Jesus, Deus Filho, a plenitude da revelação Deus aos homens. Ele é a revelação suprema de Deus – do brilho da sua graça e da majestade de sua Verdade – em todas as suas obras e palavras.

Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas… (Hebreus 1.1-3)

Agradar a Deus requer, portanto, investir tempo no relacionamento com Ele por meio de Jesus Cristo, através dos meios de graça a nós concedidos: a Palavra, a oração, a comunhão da igreja. É necessário esforço para adquirir profundidade do conhecimento de Deus. Requer que você estabeleça o alvo de aprender mais de Deus e separe o tempo para estar sempre em comunhão com a igreja.

3. Perseverar com Paciência

(…) sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade… (v.11a)

A ideia é aguentar bravamente, não fugir, permanecer estável, constante, paciente, firme. A vontade de Deus é que perseveremos com paciência e esperança Nele que faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos.

Quando uma pessoa cresce no pleno conhecimento de Deus, sua força e coragem no sofrimento aumentam. Paulo sabia disso muito bem:

Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece. (Fp 4.11-13)

Esse fortalecimento acontece no PODER de Deus, SEGUNDO a força da sua GLÓRIA. “Segundo” é mais forte do que “de”. Por isso, assim como é forte a Glória do Senhor assim será a nossa força no momento da dor.

Todos têm sofrimentos. A diferença está em como reagimos a eles. Como você tem olhado para o sofrimento? Não sei por quais problemas você tem passado. Quais são as suas dores e sofrimentos, as feridas na sua alma ou na sua família… Deus quer que você persevere com paciência.

4. Agradecer com Alegria

(…) com alegria, dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz. (v.11b, 12)

A palavra para gratidão e alegria têm a mesma raiz. Deus quer de nós um coração grato: “Estou tão alegre pelo bem que Deus tem me feito que não posso fazer outra coisa senão agradecê-lo e celebrar com alegria diante dele continuamente”.

Paulo ainda acrescenta razões para essa gratidão: que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz. Além disso, tem a mesma raiz da palavra graça. Nossa gratidão está baseada no que Cristo fez. Ele nos tornou aptos para recebermos herança eterna na justificação. Nossa gratidão e alegria são baseadas na graça. Tudo que sou e que tenho são presentes graciosos de Deus. Nada é propriamente nosso. Tudo vem das mãos Dele.

Conclusão

Isso é viver para agradar a Cristo. É dar frutos de boas obras, ter um relacionamento pessoal com Ele, perseverar através das forças que ele supre; agradecer por tudo porque tudo vem dele…

  1. Quais frutos de boas obras você pode recordar na sua vida neste ano que termina? Em que você se tornou mais semelhante a Jesus? Como essa transformação fez diferença na sua vida comum?
  2. Você tem estudado diligentemente a Escritura? Como está seu tempo de oração? Como está sua comunhão com a igreja, o Corpo de Cristo?
  3. Você é grato a Deus? Como você tem demonstrado isso de maneira concreta?

Você está fazendo suas resoluções de Ano Novo? Faça esta: “Eu agora resolvo e prometo, com humilde confiança na graça do Espírito Santo, que me esforçarei para viver como deve um seguidor de Cristo”.

Jônatas da Cunha Ferreira • iptubarao.wordpress.com
CC BY-NC-ND 3.0 • This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s