Oito anos se passaram

Jônatas da Cunha Ferreira

Um poeta, chamado Antonio Machado, escreveu: “Caminhante, tuas pegadas são o caminho, nada mais… Não há caminhos; faz-se o caminho ao andar”.

Oito anos se passaram desde os primeiros passos da caminhada desta, ainda pequena, igreja. Caminhada comunitária que nasceu da vontade de Deus e do sonho de algumas pessoas. A vontade de Deus de usar sua igreja nesta cidade como instrumento de salvação e o sonho de ver uma igreja – uma comunidade apaixonada por Deus – estabelecida aqui.

Muitas coisas aconteceram nos primeiros passos destes poucos anos de vida. Mais pessoas se achegaram. Algumas se foram. Outras vieram, se foram e voltaram. Aconteceram problemas, resolveram-se problemas. Fardos foram divididos. Alegrias foram vividas, compartilhadas, celebradas. Semeou-se, regou-se e colheu-se o que se plantou. Mas tudo isso foi apenas o começo do sonho! Para seguirmos em frente neste caminho, precisamos herdar o sonho dos pioneiros e seguir sonhando…

Sonhando com nossos filhos crescendo em obediência aos pais, e os pais criando os filhos em amor e na admoestação e disciplina do Senhor. Sonhando com nossos jovens com o coração ardendo pelo evangelho e vivendo como sal da terra e luz do mundo. Sonhando ser uma igreja que ame a Deus de todo coração, força, alma e entendimento; que viva a simplicidade, em  um amor profundo, uma fé verdadeira e uma esperança viva. Sonhando ser uma igreja que testemunhe com a vida a diferença que Jesus Cristo causa em nossa história, e que é um oásis para os sedentos, um lugar de refúgio para os cansados, um lugar de encontro para os perdidos. Enfim, um lugar de vida… Sonhando ser uma igreja que cumpra cabalmente o seu ministério, vivendo no poder do Espírito para a salvação e transformação de famílias inteiras, crescendo em graça e em número a cada dia.

Mas para seguir sonhando dentro da vontade de Deus, precisamos de algumas coisas que aprendemos com Neemias quando sonhou a reconstrução de Jerusalém.

Sonhar com a vontade de Deus como igreja – ou mesmo pessoalmente – requer dobrar os joelhos em oração. Ao saber da necessidade de Jerusalém, Neemias orou e Deus lhe fez sonhar com sua cidade reconstruída (1.4; 2.4). A oração nos ajuda a manter a sintonia e a concordância que a vontade do Pai é sempre melhor que a nossa e faz com que os nosso coração se torne solo fértil da ação de Deus.

Em segundo lugar, é preciso perceber que estes sonhos serão sempre desafios para nossa fé. Neemias sabia que a obra era grande e o projeto difícil, mas ele creu que somente Deus lhes daria êxito (2.20). Continuar sonhando a vontade de Deus requer de nós ousadia para avançar e ao mesmo tempo dependência de Deus que nos conduz.

Terceiro, para prosseguir sonhando a vontade de Deus em nossa vida comunitária é preciso planejar. Quem não planeja, vive sob reação. Neemias foi olhar o que o seu coração tinha sonhado. Foi ver a realidade da necessidade e o tamanho da obra que estava diante dele (2.11-16). Os sonhos que Deus planta são realizados com paixão e planejamento.

Por fim, perseguir os sonhos da vontade de Deus para nós como igreja depende da cooperação de todos. Neemias disse ao povo: Deus está conosco! Vamos reedificar os muros de Jerusalém! (2.17-18). Seguir sonhando e perseguindo estes sonhos requer mantermo-nos unidos em um só propósito e um só amor. Afinal, “um sonho, sonhado sozinho, é apenas um sonho. Um sonho, sonhado junto, se torna realidade”.

Que Deus continue a nos dar sonhos em sua vontade!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s