Experimentando a Graça

Jônatas da Cunha Ferreira

Se eu lhe perguntasse o que é a Graça de Deus, talvez você me responderia que “é um favor imerecido”. Esta é uma definição muito comum e, sem dúvidas, correta. Entretanto, conhecer um conceito sobre a graça de Deus é uma coisa, percebê-la atuando em sua vida é outra. Conhecer o enunciado dos atributos essenciais da Graça não significa necessariamente experimenta-la e reconhece-la na prática. Por isso, precisamos refletir: Sou capaz de entender a graça de Deus? Sou capaz de perceber a graça de Deus em mim todos os dias?

Davi foi um homem que experimentou e reconheceu a graça de Deus. Isso aconteceu de maneira especial quando, ao perceber que morava em um palácio e que a Arca da Aliança se achava numa tenda, propôs ao seu coração construir um templo ao Senhor (1Cr 17).

Entretanto, enquanto ainda alimentava este projeto, Deus o advertiu por meio do profeta: “Tu não edificarás casa para minha habitação; porque em casa nenhuma habitei, desde o dia que fiz subir a Israel até ao dia de hoje” (1Cr 17.4-5). Embora tenha dito isso, Deus prometeu estabelecer sua descendência sobre o trono em Israel (17.11). Nessa promessa Davi experimentou e reconheceu a Graça de Deus sobre si mesmo e sobre sua família. Entretanto, só foi assim porque estava consciente de três importantes verdades.

Ele se dirige ao Tabernáculo e faz uma oração de gratidão, mostrando que experimentar a Graça de Deus começa com o reconhecimento de nossa insignificância diante Dele. Davi disse: “Quem sou eu, SENHOR Deus, e qual é a minha casa, para que me tenhas trazido até aqui?” (17.16). Davi viu-se apenas como um pastor de ovelhas, sem família nobre, a quem Deus fez rei em Israel. Reconheceu que não era nada diante do Senhor.

Precisamos fazer o mesmo se quisermos experimentar e reconhecer a graça de Deus em nossos caminhos. Quem não se esvazia, imagina-se merecedor de alguma coisa e não percebe que tudo que recebeu de Deus foi-lhe dado gratuitamente. Não é a graça um favor imerecido? Para experimentá-la, é preciso reconhecer que nada merecemos. E isso, não é apenas repetir jargões do evangeliquês. Mas, vencer o orgulho, consciente de que já temos muito mais do que merecemos.

Davi também demonstrou que experimentar a graça de Deus passa pelo reconhecimento da consistência do seu caráter. Ele disse: “SENHOR, ninguém há semelhante a ti, e não há outro Deus além de ti, segundo tudo o que nós mesmos temos ouvido” (17.20). Ele não só reconheceu que ele nada merecia e que sozinho nada podia, mas também que Deus tudo pode.

Experimentar a Graça de Deus depende de conhecer o seu caráter. Quem não conhece seu caráter, não consegue crer Nele e reconhecer em grandes eventos ou acontecimentos corriqueiros a sua bondade. Para isso, é preciso mergulhar em um relacionamento profundo com Ele em sua Palavra e em oração sincera, por meio de Jesus Cristo. É Ele quem nos revela o Pai, que pode todas as coisas.

Por fim, Davi mostrou que experimentar a Graça de Deus vai até o reconhecimento do seu amor como a força motriz de sua ação: “Ó SENHOR, por amor de teu servo e segundo o teu coração, fizeste toda esta grandeza, para tornar notórias todas estas grandes coisas!” (17.19). Davi não pensou em sua própria justiça ou devoção pessoal.

Isso é experimentar a Graça. É enxergar, o amor de Deus nas bênçãos e também nas lutas. É perceber que tudo que Deus faz por nós é porque nos ama. É viver com alegria porque temos mais que merecemos. E isso nos basta!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s