Pacificadores

Jônatas Cunha


_aspas

A miséria da condição humana é tal, que a dor é seu sentimento mais vivo.” (Jean d’Alembert)

Não há como negar que paz é a principal necessidade humana em quaisquer condições. Se o homem possuir paz verdadeira, mesmo que tudo lhe falte, seu coração repousa seguro. No entanto, se não tem verdadeira paz, mesmo que usufrua de abundância de bens, ainda lhe falta o mundo inteiro. Sente-se como se nada possuísse, vive como se tudo lhe faltasse, como se nada lhe bastasse.

Há poucas semanas, em nossos estudos nas casas, refletimos nas palavras de Jesus no sermão da montanha, quando disse: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mateus 5.9). Foi interessante perceber que Jesus chama de pacificador todo aquele que experimentou da paz de Deus e que, tendo o coração purificado pelo sangue de Cristo, se torna um promotor desta perfeita paz que é a necessidade de todo homem.

A primeira verdade que está embutida nas palavras de Jesus é que paz verdadeira é um presente do Evangelho. Somente quem tem um encontro profundo com o evangelho desfruta da verdadeira paz que Cristo promoveu por meio do seu sangue na reconciliação de todas as coisas, quer nos céus, quer sobre a terra (Cl 1.20).

A segunda verdade é que os que recebem a paz do evangelho se tornam cooperadores dela para sua propagação imediata. Tornam-se pacificadores. Para Jesus, um pacificador é aquele que, participando de forma pró-ativa, espalha a paz ao homem no perdão que Ele dá em sua cruz. Paz da reconciliação com Deus e com o seu irmão. Paz que rasga as barreiras do pecado, do ódio e da indiferença. Paz que estabelece um novo horizonte de perdão, amor e cuidado.

Isso significa que, se recebemos a paz do evangelho, devemos também propagá-la. Precisamos dizer ao amigo, ao vizinho, ao caminhante que o homem pode, sim, ter paz perfeita em quaisquer circunstâncias por meio do perdão de Cristo! Que com Cristo o “pouco” é o bastante, sem Cristo o “tudo” é insuficiente, porque não há paz.

Pessoas sem o evangelho estão sem esperança e paz, porque somente o evangelho pode libertá-las do seu pecado. Se nos calarmos e permanecermos inertes, todos estes continuarão, em vão, a tatear nas ofertas do mundo atrás da perfeita paz. Deus nos deu tal paz que não podemos fazer outra coisa senão falar dessa paz aos outros.

Com quem você está compartilhando o evangelho hoje? Para quem você testemunhou da paz de Cristo na semana que se passou? A quem você demonstrou que a paz que você sente em sua alma não depende das circunstâncias em que você vive, mas daquele em quem você tem crido?

Deus pode mudar o coração de qualquer um, porque não há limites para a atuação da sua graça. E o melhor é que Deus fará o impossível através de você para levar paz às pessoas. O nosso Deus é aquele que transforma as limitações humanas em realizações divinas, quando nos dispomos a refletir a paz que Ele nos deu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s